Como acompanhar a evolução do aluno?

Garantir a evolução do aluno sem deixar ninguém para trás, respeitando o processo de aprendizado de cada um, é possível?

Escrito por: Luiza Braga

(redatora e comunicadora da Eduqo)

Evolução do aluno no contexto escolar

 

Muito antes do recesso escolar, a equipe pedagógica já está a todo vapor planejando o próximo semestre. Em geral, esse planejamento reúne as atividades do semestre, servindo de bússola para alcançar os objetivos e acompanhar a evolução do aluno.

No processo de desenvolvimento, uma criança pode demorar mais a engatinhar do que outra, e isso também acontece no ambiente escolar. Cada aluno tem um ritmo único no processo de aprendizado.

Por isso, ao fim de cada aula, ainda é um desafio saber se os alunos realmente estão aprendendo. Como identificar se algum aluno está ficando para trás nas atividades ou se todos andam juntos para o ponto almejado? É crucial que o professor respeite o ritmo de aprendizagem e busque estratégias para a evolução do aluno. Então, qual é o melhor caminho para avaliar (genuinamente) a evolução do aluno?

Se tratando de educação, não há receita pronta. Mas já existem alguns caminhos  que nunca saem de moda, como os registros pedagógicos. Onde o professor consegue acompanhar as atividades realizadas, frequências dos alunos e etc.Além do mais, esses registros já foram atualizados, e hoje muitos professores incrementam com fotos e vídeos, tornando possível o compartilhamento desses eventos importantes com os pais.

 Comparando e evidenciando a evolução dos alunos por meio da tecnologia

A observação do professor ainda é um recurso valioso para coordenação pedagógica. É fundamental a organização de todos os materiais usados durante as aulas numa ordem que faça sentido. É aí que a tecnologia pode ser de grande ajuda: software de gestão escolar tem muito a oferecer! Já ouviu falar de Avaliação Diagnóstica?

Banco de questões e sistema online seguro para interação de pais e alunos sobre a evolução do aluno em sala de aula são alguns dos benefícios. Além de uma leitura detalhada das notas, gerais e individuais, montada pelo sistema favorecendo a observação pontual do aprendizado dos alunos e otimizando o tempo em sala de aula.

Quer saber como isso funciona? Clique aqui e agende uma demonstração gratuita!

 

Volta às aulas: como se preparar e seguir o planejamento?

Turma nova, revisão de conteúdo e respostas de especialistas para as dúvidas mais comuns desse período. Tudo para você ficar sabendo antes de retomar as aulas com a garotada no segundo semestre.

Escrito por: Luiza Braga

(redatora e comunicadora da Eduqo)

volta às aulas

O fim das férias anuncia: é hora de se preparar para a volta às aulas.  Encontros pedagógicos, informações das turmas e, consequentemente, continuidade do planejamento do próximo semestre.

Todo esse processo não tem nada de novo e pode até parecer simples, mas não é.  Sugestão: reúna os conteúdos que irá trabalhar nas aulas, desafios da faixa etária e as exigências de aprendizagem da turma. Vale recorrer à equipe pedagógica – professores e gestores – e também, a outros materiais, como acervo da escola e projetos. 

Mesmo assim, o surgimento de dúvidas e problemas durante o planejamento e nas semanas iniciais é totalmente normal. Responderemos abaixo algumas das dúvidas mais comuns:

Como me preparar para encarar uma turma que é considerada pelos meus colegas como difícil?

Partindo do princípio de que o conceito de difícil é relativo, o desafio pode ficar menor. O comportamento da turma depende da relação aluno-professor e as evidências sobre a dificuldade da turma são muito particulares. Turmas ”difíceis” para um professor podem se dar bem com outro. 

“Ao assumir um grupo novo, o educador não pode carregar preconceitos que surjam a partir de conversas com os colegas – apesar de essa troca ser importante”, explica Adriana Ramos, do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Moral das Universidades de Campinas (Unicamp) e Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp).

Junto de seus colegas de trabalho, procure descobrir quais são, especificamente, as características que tornam essa turma ‘’difícil’’. As dificuldades estão ligadas à indisciplina, ao rendimento nas avaliações ou a qual outro determinante? Tendo essas respostas, é viável e totalmente indicado, o planejamento de atividades estratégicas para contornar os obstáculos e tornar o grupo melhor.

Caso o problemas seja relacionado ao mal comportamento dos alunos, planeje atividades que promovam a convivência, dando oportunidade para trabalhos em grupos durante as aulas. Outra boa dica é reservar um tempo, semanalmente, para discutir os desafios enfrentados, nos conselhos de classe.

 Suspeito que minha turma ainda não tenha fixado alguns conhecimentos de anos anteriores. O que fazer para que isso não atrapalhe as aulas?

Primeiramente, certifique-se de sua impressão. Uma ferramenta essencial para o docente tirar isso a limpo é a avaliação diagnóstica, para avaliar de maneira precisa o que as crianças, de fato, já aprenderam e não perder tempo voltando ao que elas já conhecem. Se, ao analisar de maneira geral, perceber que a turma, não conseguiu atingir as expectativas de aprendizagem dos anos anteriores, é um sinal para repensar o planejamento. 

“Os alunos não podem deixar de aprender e, se eles não foram assimilados no passado, é papel do professor que assumiu a turma ensinar”, defende Débora Rana, formadora do Instituto Avisa Lá e coordenadora pedagógica da escola Projeto Vida, na capital paulista.

Darei aula para uma série da qual não estou acostumado. Como me preparar?

Nesse caso, o planejamento exige ainda mais cuidado. Para começar, você deve se desprender da turma anterior para conseguir entender as características da faixa etária da sua nova turma e conhecer as expectativas de aprendizagem.

Uma boa coisa a se fazer é conversar com colegas que já estão habituados a dar aula nessa série e até recorrer aos antigos professores da turma que irá assumir, afinal, essas pessoas podem passar informações que, provavelmente, te ajudarão a iniciar e esboçar um planejamento.

“O educador também precisa refletir sobre a maneira como sua experiência em uma série diferente pode ajudá-lo nesse novo desafio”, defende Daniela Panutti, coordenadora pedagógica da Escola Vera Cruz, na capital paulista.

 

 

Descubra os 5 principais motivos que, para os pais, agem diretamente na decisão de escola ideal para seus filhos

Metodologia, proposta pedagógica e foco em vestibular são alguns requisitos importantes na avaliação dos pais na hora de escolher a escola.

Escrito por: Luiza Braga

(redatora e comunicadora da Eduqo)


As famílias estão cada vez mais críticas quanto a escolha da instituição de ensino que irão matricular suas crianças e adolescentes, isso porque essa decisão é muito mais do que um mero investimento financeiro.  A missão consiste em achar uma escola que contribua ativamente na formação humana, de acordo com a rotina dos responsáveis, e responda afirmativamente a pergunta: ‘’a escola transmite os valores e ensinamentos que eu prezo dentro da minha casa?’’

  1. Projeto pedagógico e método de ensino

É fundamental que os pais enxerguem transparência e consigam compreender sobre quais metodologias de ensino são aplicadas na escola, forma de avaliação de resultados do aluno, carga horária e se existe alguma preparação para o vestibular . Ainda não existe um projeto pedagógico que seja compatível com todos os alunos, porém isso não precisa ser empecilho, dependendo do perfil do aluno, você pode identificar o que é mais valorizado pela família.

    2. Aplicação de novas ferramentas

Nossa rotina já foi impactada com muitas melhorias provenientes da tecnologia, com a educação não poderia ser diferente. Além disso, é muito provável que seus alunos tenham nascido na era digital e estão mais do que familiarizados com a internet. Sendo assim, usufruir de tecnologia dentro de sala de aula é vital para potencializar o aprendizado dos alunos e promover a escola envolvida. Esse é um aspecto cada vez mais valioso para os pais e responsáveis na busca pela escola ideal para matricular seus filhos

  1. Reputação da escola e indicação de amigos

O que circula na conversa de outros pais exerce um peso grande na definição de onde matricular os filhos no ano seguinte. Essas informações vêm do público que vivência a rotina da instituição diariamente, tendo mais conexão com a realidade, transmitindo assim mais credibilidade. Portanto, entender e atender as expectativas dos pais é essencial para atrair mais alunos para sua instituição Compreenda como você pode aprimorar e garantir uma educação qualificada para seus alunos e ascensão da sua escola no mercado.

  1. Corpo docente qualificado 

O contato mais frequente dos filhos vão ser com os professores e é por esse motivo que a formação dos professores, tanto teórica quanto de competências comportamentais, é levada tão a sério. É crucial investir em formação continuada e capacitação contínua para garantir um corpo docente qualificado na sua escola. Assim como, é importante ter profissionais alinhados aos objetivos e valores, garantindo a qualidade durante o processo de aprendizado.

  1. Cada aluno é um ser único

Por último e não menos importante, o tratamento personalizado e singular que seus filhos irão receber na escola é outro fator muito importante na decisão dos pais visto que, cada aluno tem sua personalidade, nível desenvolvimento e forma diferente de absorver os aprendizados. Isso não significa que você precisa de uma aula diferente para cada aluno, contudo, sua escola deve enxerga a importância na valorização da diversidade dentro da sala de aula e conseguir lidar com ela de forma a potencializar os pontos fortes de cada um dos alunos.

Sabemos que essa escolha é muito importante e aborda, também, outros tópicos maiores e mais complexos. Mas e você? Usaria esses cinco motivos para decidir?

Gostou do artigo? Compartilhe suas experiências conosco nos comentários!